Assédio moral na enfermagem? Saiba o que fazer em situações de assédio moral.

O assédio e mais comum entre superiores e subordinados, mas também pode ocorrer entre colegas de trabalho.

A humilhação sofrida, pode ocorrer através de: broncas, ameaças, boatos contra o funcionário, difamação, constrangimento, que pode acontecer em público ou não.

assedio-moral

Consequências do assédio

Leva a danos físicos e emocionais, não só para as vítimas, mas também, para todos aqueles que atuam neste ambiente de trabalho.

Comprometendo sua identidade, sua dignidade e suas relações afetivas e sociais. Pode causar graves sequelas à saúde física e psicológica do trabalhador, levando a evolução de incapacidade laborativa ou até mesmo ao suicídio

Os indivíduos que sofrem a humilhação, geralmente apresentam baixa autoestima e problemas de saúde.

Ao contrário do que muitas pessoas pensam: 

Sim! É permitido gravar o momento do assédio. Qualquer pessoa pode gravar uma conversa da qual esteja participando, sendo considerada pelo judiciário como prova lícita. Atualmente, até mesmo as mensagens, via WhatsApp, estão sendo aceitas pela Justiça, como meio de provas.

assedionovissimo

Enquanto existir vítimas de assédio moral, a luta pela mudança dessa realidade e erradicação do problema devem continuar.

Como lidar com o assédio moral?

Deve ser estabelecido limites ao superior hierárquico, deixando claro que a conduta de violência não é aceitável.

Primeiramente, caso tenha se sentido constrangido, humilhado ou agredido moralmente, tente uma conversa com quem cometeu o ato, porque pode ser que a pessoa não tenha percebido o que fez.

Caso a conversa não apresente efeitos positivos e o agressor venha a praticar a mesma conduta, formalize o alerta junto ao agressor, via e-mail por exemplo, relatando o problema. Neste caso é importante copiar o RH da empresa e/ou alguém que tenha presenciado a situação.

Na Resolução Nº 311/2007 do COFEN (Código de Ética dos Profissionais de Enfermagem) está previsto as seguintes proibições:

Art. 77 – Usar de qualquer mecanismo de pressão ou suborno com pessoas físicas ou jurídicas para conseguir qualquer tipo de vantagem.

Art. 78 – Utilizar, de forma abusiva, o poder que lhe confere a posição ou cargo, para impor ordens, opiniões, atentar contra o pudor, assediar sexual ou moralmente, inferiorizar pessoas ou dificultar o exercício profissional.

A conduta do agressor pode caracterizar:

Crimes contra a honra: difamação e injúria;

Crimes contra a liberdade individual: constrangimento ilegal e ameaça.

O assédio moral deve ser debatido de forma séria e comprometida, não só pelas vítimas ou pela classe trabalhadora, mas sim pela sociedade como um todo. Fale conosco

Telefone: (41) 3598-0625
Email: presidente@asmec.org

por Raquel Da Silva Padilha

Enfermeira Coren Paraná nº 369.655

Deixe uma resposta